SERVIÇOS OFERECIDOS

PSICOTERAPIA ONLINE

A Psicoterapia Online é estudada há tempos em diversos países no mundo. No Brasil, isto ainda é relativamente novo, com a autorização e regulamentação pelo Conselho Federal de Psicologia desde 2012. Em 2018 o Conselho Federal de Psicologia teve alterações na regulamentação deste tipo de serviço. Em 2020 devido a pandemia do COVID-19 houve uma grande adesão dos psicólogos nesta modalidade de atendimento que já era regulamentada há tempos no Brasil. Lembre-se que somente psicólogos aprovados e cadastrados no CFP podem atuar com esta modalidade, para isso certifique o número de registro do E-Psi do profissional que você escolher para realizar seu atendimento. 

A Psicóloga Laís Mutuberria atua com Psicoterapia Online desde 2015 e seu número de registro é E-Psi 11808.

Faça Psicoterapia Online de onde você estiver!

Você realiza suas sessões de onde estiver, basta ter um aparelho eletrônico e internet para que possa realizar vídeo chamada. Você poderá fazer sua sessão viajando, no intervalo de seu almoço, logo no início da manhã antes de sair de casa para o trabalho. Desde que você tenha privacidade e siga as recomendações que o Psicólogo lhe der. 

Tanto a Psicoterapia Online, quanto a presencial, tem eficácia e resultado. Apesar de possuírem elementos em comuns, na análise, interpretação, aplicação de técnicas e instrumentos, se diferenciam em alguns aspectos, dentre eles na análise da corporeidade, onde na sessão presencial o terapeuta obtém informações da leitura corporal como um todo do paciente, e na sessão online o psicólogo se atém a análise mais profunda das expressões faciais, e micro faciais do paciente, quando a sessão online é feita através de vídeo chamada.

Se você mora fora do Brasil e quer fazer Psicoterapia poderá  fazer psicoterapia online, com um psicólogo brasileiro. As sessões acontecem por meio de vídeo chamada e possuem a mesma eficácia de sessões presenciais. 

Como funciona o sigilo profissional?

O sigilo acontece da mesma forma que a psicoterapia presencial, e seu psicólogo lhe orientará sobre todas as medidas de segurança que ambos deverão ter para garantirem o sigilo de sua sessão. 

Vale destacar que o psicólogo em qualquer contexto de atuação deverá cumprir e respeitar o código de ética profissional, mantendo o sigilo sobre os dados e questões confiadas a ele no atendimento, sob pena de cometer infração grave ao violar o código de ética dos psicólogos, além de sofrer sanções pelos órgãos fiscalizadores da profissão, seu Conselho Regional de Psicologia e Conselho Federal de Psicologia. A preservação da identidade do cliente, tal como a confidencialidade irrestrita das informações obtidas pelo psicólogo durante o atendimento, são obrigações e deveres de todo profissional de psicologia, independente do ambiente onde acontecer o atendimento, aplicando-se as normas ao atendimento online. Entretanto, cabe ressaltar que o atendimento psicológico online não dispõe de garantias absolutas quando da utilização de meio eletrônico, por estar este sujeito a violações que fogem do controle e cuidado do profissional. A vulnerabilidade da internet deve ser considerada. Sendo assim é de fundamental importância, o cliente certificar-se da segurança de seu equipamento, instalando programas que detectem possíveis ameaças, assim como deverá evitar o atendimento em computadores públicos, tais como: Lan-houses, Cyber cafés, Bibliotecas, Trabalho e redes de uso compartilhado.

Em que local o atendimento online pode ser realizado? Quais cuidados são importantes?

É fundamental que você disponha de um local privado, onde possa estar seguro que ninguém esteja interferindo em sua sessão. Você deve estar sozinho em um ambiente calmo e silencioso, de preferência em casa. Eu indico que a sessão aconteça em um local que você se sinta bem, aconchegante e que sua sessão preferencialmente aconteça sempre no mesmo local. Além da privacidade, outro aspecto importante é que o ambiente disponha de uma boa iluminação e um apoio onde seu aparelho eletrônico, seja um smartphone, tablet ou computador, fique devidamente apoiado e a videoconferência seja feita de modo que a câmera webcam mostre do seu busto para cima.

Ademais, é fundamental que você garanta a qualidade da sua conexão com a internet. Minha experiência mostra que a velocidade a partir de 60M se mostram excelentes para uma boa qualidade da videoconferência. Um aspecto importante antes de você realizar sua primeira sessão é realizar previamente um teste de uma videoconferência com algum familiar ou amigo para que possa garantir que a velocidade de sua internet é suficiente para que a videoconferência aconteça sem interrupções, além de testar o bom funcionamento do áudio e da imagem da sua webcam.

Quando o atendimento online não é indicado?

A psicoterapia online não é indicada em casos de transtornos severos. Por exemplo, não é indicado que uma pessoa que sofra de Transtorno de Personalidade Esquizóide realize atendimento de orientação psicológica breve e psicoterapia online, pois este transtorno implica em limitações e dificuldades na interação social e na resposta socioemocional com as pessoas. Assim, o atendimento online não permite uma maior evolução do paciente na interação social. Há outras situações em que o atendimento psicológico online pode não ser indicado, somente a partir de uma avaliação com o psicólogo que o cliente será indicado para a modalidade de atendimento online. O cliente poderá agendar sua primeira consulta para realizar esta avaliação.

Menores de idade poderão fazer psicoterapia online?

Sim, minha recomendação pessoal é que de modo geral os adolescentes acima de 16 anos de idade tem um excelente aproveitamento das sessões online, desde que os pais autorizem o atendimento do adolescente e registrem em cartório esta autorização, enviando esta autorização autenticada para o psicólogo via e-mail ou correio.

Para menores de 16 anos é fundamental uma avaliação cuidadosa, a qual pode ser feita online, para se certificar que a criança ou adolescente terão um bom aproveitamento desta modalidade de atendimento.  Eu realizo uma avaliação cuidadosa nestes casos de menores de 16 anos, pois segundo minha experiência parte deste público se beneficia mais com sessões presenciais do que com sessões online. 

Vale lembrar que para realizar sessões online este adolescente não pode estar sofrendo de um distúrbio psicológico grave, crise acentuada de descontrole emocional ou mesmo apresentar um transtorno mental grave. 

Nos casos de adolescentes, é interessante que o primeiro contato com o psicólogo seja feito pelo adulto responsável que contenha a guarda legal do mesmo, pois assim, as questões burocráticas sobre termos de autorização registrados em cartório são esclarecidas logo de imediato para que os adultos tomem as devidas providências para que o adolescente possa iniciar suas sessões.

Veja como é fácil fazer Psicoterapia Online!

1. Entre em contato e agende sua sessão: +55(34) 99990-8985

2. Efetue o pagamento de sua sessão e envie o seu comprovante. O pagamento pode ser feito através de PIX, depósito ou transferência bancária. Para pacientes que residem no exterior utilizamos a plataforma do TransferWise para a realização dos pagamentos.

3. Faça sua sessão via videochamada no dia e horário agendados

4. Confirme seu agendamento, faça o download da plataforma de atendimento e adicione a Psicóloga Laís.

5. A sua sessão de psicoterapia terá a duração de 45 à 50 minutos.

6. O método utilizado pela Psicóloga Laís Mutuberria é transteórico, de modo integrativo, utilizando abordagens da análise transacional, hipnose de Milton Erickson, terapia comportamental cognitiva, PNL e psicologia positiva.

7. Os procedimentos realizados nas sessões iniciais são: 1ª Entrevista Inicial, 2ª Anamnese Completa e 3ª Intervenções Psicoterapêuticas.

8. Em caso de adolescentes e crianças:

1º A primeira sessão é realizada com os pais ou responsáveis; 2º Em seguida, o adolescente ou criança faz a avaliação com a Psicóloga Laís Mutuberria para obter um parecer se as sessões online se adequam as necessidades do paciente. Lembrando que menores de 18 anos precisam de autorização para começarem a ser atendidos. Esta autorização é feita pelos responsáveis do menor, poderá ser escaneada e enviada por e-mail antes da sessão ser realizada com o menor.

9. Você poderá contar com materiais extras que te auxiliarão em todo seu processo terapêutico recebendo materiais como:

Áudios de Hipnose Guiada pela Psicóloga Laís Mutuberria;

Exercícios de Escrita Terapêutica elaborados pela Psicóloga Laís Mutuberria;

Textos e outros Materiais Informativo.

10. Atenção para alguns Cuidados com o Atendimento Online:

Tenha uma boa qualidade de internet;

Use fones de ouvido;

Faça sua sessão em um local com privacidade;

Tenha consigo um "bloco de notas" ou "pasta" para arquivar materiais de suas sessões. 

PSICOTERAPIA INDIVIDUAL

Adultos

Na psicoterapia de adultos, cliente e terapeuta, identificam qual é a verdadeira fonte de problemas e sofrimento, e assim, conseguem encontrar as melhores estratégias para lidar com eles. Durante este processo o cliente toma consciência de suas de suas crenças limitadoras e dos padrões comportamentais que ele vem seguindo e que estão até o momento impedindo-o de superar seus problemas e angústias. Deste modo, o adulto que se submete ao processo de psicoterapia encontra a possibilidade de fazer novas escolhas para sua vida, mais saudáveis e adaptativas, tornando-se instrumento de mudança e transformação para obtenção de bem estar e qualidade de vida.

Crianças (somente com avaliação) e Adolescentes

Na psicoterapia com crianças e adolescentes o psicólogo viabiliza a superação das dificuldades da criança, do adolescente e de sua família, sejam elas de caráter emocional, de relacionamento interpessoal ou outra. A presença e o engajamento dos pais no processo psicoterapêutico é fundamental para que mudanças positivas aconteçam na vida da criança e do adolescente.

A criança, o adolescente e sua família recebem cuidados e orientações que facilitam a adoção de novas posturas diante da situação problema, permitindo assim, a solução das dificuldades apresentadas, bem como a aquisição de novas formas de relacionamento, mais saudáveis e adaptativas, para a criança, o adolescente e sua família.

METODOLOGIA E TÉCNICA

Utilizo uma abordagem transteórica que integra diferentes escolas de psicoterapia, assumindo uma postura de ecletismo na prática clínica, em um sistema aberto da moderna psicologia.  As técnicas utilizadas no processo de psicoterapia de adultos são diversificadas e planejadas de acordo com a demanda e necessidade de cada paciente, sendo que, estas estão pautadas nos Conceitos da Análise Transacional, nos Princípios Comportamentais e Cognitivos, nas contribuições da PNL e da Psicologia Positiva e recursos da Hipnoterapia Ericksoniana, as quais são todas ferramentas psicoterapêuticas compreendidas como recursos práticos e objetivos, que permitem um resultado mais rápido e eficaz para as situações que o paciente busca desenvolver.

As técnicas utilizadas no processo psicoterapêutico de crianças e adolescentes, incluindo o trabalho em grupos terapêuticos e orientação profissional, possuem a particularidade da presença de recursos lúdicos e criativos, pois as crianças e os adolescentes exigem a presença destes recursos para a expressão autêntica de suas crenças, emoções e dificuldades, de modo que o processo de psicoterapia infantil e do adolescente é permeado pelo clima descontraído onde o brincar, os jogos, os temas lúdicos e os demais recursos utilizados promovem o exercício da expressão autentica do seu íntimo. Ademais, são utilizados com maior frequência os recursos de testes e escalas, em psicoterapia individual para uma avaliação mais precisa da queixa e demanda da criança e do adolescente.

ESCOLAS DE PSICOTERAPIA - Métodos e Abordagens

A Psicoterapia

A psicoterapia é um método científico que tem o objetivo de auxiliar tanto adultos como crianças e adolescentes a superar situações de dificuldades persistentes, sejam elas no aspecto social, pessoal, familiar ou no âmbito do trabalho-estudo, ou ainda, é um instrumento para aqueles que desejam desenvolver o autoconhecimento, a autonomia, o desenvolvimento pessoal e uma maior qualidade de vida.

No processo psicoterapêutico é realizada uma avaliação precisa da fonte e origem das dificuldades e sofrimentos vivenciados pela pessoa, e a partir disto, o psicólogo viabiliza a superação das dificuldades apresentadas por meio de orientação e técnicas que facilitam a aquisição das novas posturas diante da situação problema, permitindo assim que a pessoa que buscou mudanças e transformações, as conquiste através destas novas condutas adquiridas no processo psicoterapêutico. Exponho aqui alguns referenciais teóricos e princípios que norteiam meu trabalho psicoterapêutico.
 

O Pensamento Sistêmico

O pensamento sistêmico é uma é uma maneira de se compreender a realidade da nossa sociedade, abordado toda a complexidade do desenvolvimento humano, passando então a olhar não apenas o indivíduo e as atitudes que este realiza por si só, mas principalmente o contexto em que o sujeito está inserido e como as relações são estabelecidas. Este pensamento contrapõe o que foi proposto por Descartes no século XX, que era a forma de abordar a realidade que visava a fragmentação e, portanto pode ser considerada uma forma reducionista de se analisar uma sociedade com tantas complexidades.

Análise Transacional

A Análise Transacional (AT) é uma teoria criada por Eric Berne no final dos anos 50. A teoria possui um conjunto de técnicas para a mudança na qual o indivíduo tem a possibilidade de fazer uma escolha quando ao seu papel de ser humano.

O nome Análise Transacional foi dado por Berne devido ao seu interesse pela relação entre as pessoas, no qual ele estuda as trocas de estímulos e respostas entre os indivíduos criando então a AT como consequência dos seus estudos e pesquisas. Para Berne o indivíduo nasce com capacidade plena para obter sucesso e satisfação em suas próprias necessidades.

Berne ainda optou por usar termos simples na sua teoria, aplicando termos de linguagem de fácil acesso com conteúdo do uso cotidiano para que pudesse ser compreendido em qualquer circunstância. Além do que buscou fazer as suas teorias baseadas na maneira de relatar e agir dos seus clientes, com a intenção de que as suas teorias fossem facilmente demonstradas e colocadas em prática.

Hipnose

A hipnose é uma técnica usada desde a antiguidade por povos como egípcios, hebreus, babilônios, dentre outros. Na época era utilizada principalmente para doentes com distúrbios nervosos. Esta técnica ganhou força e crédito apenas nos século XX, passando a ser usada como um recurso quem não poderia se beneficiar de anestésicos, utilizando a técnica para alívio da dor, na clínica, na cirurgia, dentre outras situações. A hipnose no Brasil foi regulamentada em 1964 e passou a ser considerada pelo CFP como auxiliar do trabalho de psicologia somente no ano 2000.

Considerado o maior hipnoterapeuta do século XX Milton H. Erickson é uma autoridade no que se refere à hipnoterapia. Era médico e psicólogo, viveu de 1902 a 1980 nos Estados Unidos, lecionou psiquiatria nos anos 1920 e foi presidente da American Society for Clinical Hypinosis.

A hipnose é um estado de funcionamento da consciência diferente da vigília e do sono e que se caracteriza por um foco de atenção mais restrito, voltado para processos internos (circuitos neurais de memória) e em estreita cooperação com o operador. No transe o indivíduo é ensinado a responder a ideias, pensamentos, sentimentos, tão bem quanto na realidade objetiva.

Metáforas

O uso de metáforas é usado pela sociedade desde a antiguidade, era muito comum dentre os filósofos gregos e até mesmo Jesus Cristo adotou as metáforas como uma de suas estratégias para os ensinamentos que queria disseminar.

Estas são um meio de comunicação indireta, que tem intenção de envolver em um processo de linguagem realizando uma analogia com a questão a qual se deseja falar a respeito. Tem como objetivo fazer com que a pessoa receba a mensagem de forma indireta e consiga relacioná-la com a situação quando compará-la a sua própria vida.

Ao utilizar metáforas, terminamos distraindo o consciente do sujeito e ativando sua mente inconsciente para que ela possa perceber as semelhanças.

Programação Neuro-linguística (PNL)

Este método surgiu na Califórnia (EUA) no início da década de 70, criado por Richard Bandler, matemático, Gestalt terapeuta e estudioso em informática, e por John Grinder, linguista especializado em gramática transformacional.

A PNL estuda o funcionamento do cérebro, da mente e da linguagem, de modo a compreender o modo pelo qual criamos nossos pensamentos, sentimentos, estados emocionais e comportamentos e, assim, a partir desta compreensão o método da PNL possibilita que o paciente direcione e aperfeiçoe todo este processo de pensar e agir.

As técnicas da PNL no processo psicoterapêutico permitem que o paciente passe a ter consciência e dominar os seus pensamentos, crenças, modelo de mundo, e assim, acontece um processo de reeducação destes processos com o paciente, que o leva a criar padrões de pensamentos positivos e saudáveis, que por sua vez, levam-no a conquistar estados emocionais e comportamentais mais criativos e eficazes, melhorando assim o sistema de comunicação do paciente, promovendo seu desenvolvimento pessoal e permitindo o alcance de quaisquer que sejam os seus objetivos.

Teoria Cognitiva Comportamental (TCC)

A Terapia Cognitiva foi uma linha de psicoterapia proposta por Aron Beck (professor de psiquiatria nos Estados Unidos) e seus colaboradores, na década de 50. A proposta integra o modelo cognitivo de psicopatologia e um conjunto de técnicas baseadas diretamente nesse modelo.

Tem como objetivo a mudança de padrões de pensamento, para o qual criou técnicas e estratégias terapêuticas. Estudos e pesquisas mostram que sua proposta apresenta eficácia terapêutica. Além de ser uma abordagem que trabalha com resultados a curto prazo para os padrões de psicoterapia.

O primeiro passo é incentivar o paciente a compreender seus problemas para que juntos possam a partir de então encontrar uma nova maneira de enfrenta-los. Durante a Terapia, tenta-se ressignificar os conteúdos que geram emoções negativas, tentando propor que não é determinada situação ou estímulo que trazem certas emoções, mas sim a maneira como a situação é interpretada pelo sujeito.

Esta abordagem infere que os pensamentos influenciam os sentimentos, e os comportamentos também são influenciados por eles. Assim, os sentimentos e comportamentos e até as reações fisiológicas estão ligadas diretamente a maneira que interpretamos determinados estímulos

Psicologia Positiva

Psicologia Positiva é um campo relativamente recente dentro da Psicologia, a qual estuda os elementos que podem trazer felicidade às pessoas. Ao invés de focar na doença a Psicologia Positiva busca atuar na promoção da saúde do indivíduo. Assim, em vez de priorizar a identificação de desvios ou patologias mentais, o segmento se volta para a manutenção e reforço do bem-estar do paciente. Isso não significa deixar as doenças de lado, mas, sim, concentrar-se em aspectos positivos da existência humana.

Partindo dessa premissa, a Psicologia Positiva emprega ferramentas como a autorresponsabilidade para mostrar que cada um tem o poder de mudar sua realidade. Esta abordagem terapêutica é baseada em técnicas e ferramentas que promovam o bem-estar e a saúde mental.

PALESTRAS

Duração: 1h30min

Podemos definir a síndrome do ninho vazio como o conjunto de pensamentos e sentimentos negativos e nostálgicos como a sensação de incerteza, a tristeza ou a perda do sentido da vida, por parte dos pais, quando os filhos vão embora de casa. De repente se vêem sós, depois de um longo período de tempo cuidando e educando seus filhos. Nesta palestra iremos tratar das seguintes questões: O que fazer quando os filhos vão embora de casa? Como superar a síndrome do ninho vazio? Posso evitar a síndrome do ninho vazio? Como estabelecer uma relação saudável com os filhos desde sua infância para que os pais não passem por esta síndrome?

Duração: 1h30min

Esta palestra permite que os pais possam compreender melhor os medos manifestados pela criança, e a partir disto, são orientados para auxiliar seu filho a lidar com estes medos. Assim, esta palestra desmistifica os mistérios e curiosidades dos adultos acerca dos medos infantis, preparando os adultos a lidar com as situações cotidianas que envolvem o medo infantil.

Para mais Palestras oferecidas pela Psicóloga Laís Mutuberria acesse: